Indicadores de Desempenho com a Master Experiens

A sua empresa possui indicadores de desempenho?

Saiba que essa é a melhor maneira de mensurar os resultados e corrigir rotas. Até porque, não há como pensar em melhorias sem conhecer a situação real da empresa. Por isso, ter indicadores é tão importante.

Todo e qualquer planejamento feito por uma empresa, precisa ter por base dados. Quanto mais dados uma empresa tiver, melhor. Na medida em que esses dados vão sendo analisados, mais fácil fica para definir estratégias e mudanças de rotas dentro da organização.

Esses indicadores poderão mostrar quais são os pontos fracos e quais são os pontos fortes do negócio. E com isso, o empreendedor consegue melhorar o resultado da empresa de forma muito mais efetiva.

Quais são os principais indicadores de desempenho?

Conforme antecipamos, os indicadores de desempenho são mecanismos capazes de mostrar a direção que um negócio está seguindo. Por meio deles, é possível saber, por exemplo, qual o grau de satisfação dos clientes, a lucratividade do negócio, o ticket médio e muito mais.

Entendendo a direção que a empresa está seguindo, fica muito mais fácil criar um planejamento estratégico eficaz, Fundamento número 6 de A Arte da Gestão®. Por exemplo, se a taxa de turnover da empresa estiver alta, é possível repensar o processo seletivo para baixar esse indicador.

Enfim, se não houver mensuração não há como pensar em um plano de melhorias. Somente por meio da coleta de dados é que isso se torna possível.

Não sabe quais os indicadores usar no seu negócio? Fique tranquilo.

Separamos neste artigo 10 indicadores de desempenho que vão te ajudar nessa empreitada. Boa leitura.

Indicadores de Desempenho com A Master Experiens®

“Dificilmente temos como proteger a decisão de todas as possibilidades de equívocos ou fatores externos. Por isso se torna fundamental o uso e atualização sistemática de modelos decisórios capazes de capturar os
principais contextos inerentes a uma decisão e os pontos de controle que
devem ser constantemente monitorados para o fiel cumprimento e efetiva
implantação, ou seja, seus indicadores de desempenho e resultado.”

Nilson Nóbrega de Freitas, Fundador e Presidente da Master Experiens®

1 – Indicador de satisfação do cliente

Não poderíamos começar a nossa lista por outro indicador senão a satisfação do cliente. Afinal, sem clientes uma empresa não existe.

Os clientes são os principais responsáveis pelo sucesso do negócio. E para ter clientes satisfeitos é preciso entender as suas necessidades.

Por isso, todas as empresas precisam criar índices de satisfação do cliente para aprimorar os seus serviços de modo realmente eficiente.

Mas, como criar indicadores? Hoje um indicador bastante utilizado nesse sentido é o NPS (Net Promoter Score). Esse indicador consegue criar uma mensuração do grau de satisfação.

Geralmente funciona assim:

Após a concretização da venda, a empresa formula duas perguntas para os seus clientes. A primeira geralmente é dada por uma escala de 0 a 10.

Por exemplo: “Em uma escala de 0 a 10, você indicaria esse produto para um amigo?”

Note que isso funciona como um termômetro para a empresa. E dependendo da média das respostas é possível pensar em planos de melhoria.

A segunda questão é um complemento da primeira, como por exemplo: “O que podemos fazer para melhorar a sua nota?”

Veja que o próprio cliente pode dar a solução para a organização melhorar os seus serviços e produtos oferecidos. Esse é um indicador bastante importante de ser aplicado.

2 – Ticket Médio, um indicador de dinâmica

Assim como é importante entender a satisfação do cliente, também é necessário saber quanto em média o cliente gasta em cada compra.

Portanto, ticket médio nada mais é que uma média de gastos a cada compra.

Por exemplo, vamos imaginar um supermercado. Lá, existem produtos que valem centavos e produtos caros que passam de R$ 100. Quando um cliente entra na loja, quanto normalmente ele gasta?

A empresa precisa ter essa informação, pois baseado nela é possível criar ações para aumentar o ticket médio.

Normalmente, para encontrar esse indicador é necessário ter um sistema eficiente. E por meio desse sistema, encontrar exatamente quanto cada consumidor gastou nas compras.

Ao final do dia, é só fazer uma média ponderada, ou aritmética para encontrar qual foi o ticket médio do dia. E no fim do mês encontrar o ticket médio do mensal.

Com esses dados em mãos fica muito mais fácil pensar em ações efetivas para aumentar as vendas da empresa.

3 – Índice de satisfação interna (Felicidade Interna Bruta)

Um outro indicador também bastante importante que uma organização precisa ter é o índice de satisfação interna, também conhecido como Felicidade Interna Bruta.

Esse índice visa encontrar a satisfação dos funcionários da empresa. Ou seja, como eles estão trabalhando, se estão felizes etc.

No fim das contas, ter um time altamente comprometido é essencial para o negócio ter mais produtividade e mais comprometimento.

Inclusive, funcionários mais felizes e satisfeitos irão se empenhar em atender melhor os clientes e procurar ajudar o empreendimento a aumentar o seu faturamento.

Dessa forma, para encontrar esse índice a empresa pode também usar o mesmo método NPS (Net Promoter Score) que citamos no índice de satisfação do cliente.

Ou seja, por meio de duas questões, dá para saber qual é o grau médio de satisfação dos funcionários, e quais são as melhorias que os próprios funcionários propõem.

Esse indicador pode ser levantado todos os meses. E a pesquisa pode ser feita de maneira anônima para evitar um comprometimento do resultado.

Até porque, um funcionário poderá ficar inibido em dar uma nota baixa para a empresa com medo de perder o seu emprego. Dessa forma, o resultado não será verdadeiro.

Então, conclui-se que o ideal é que a pesquisa junto ao colaborador seja feita de maneira anônima para evitar que o resultado dela seja corrompido.

4 – Indicador de produtividade

Um outro indicador bastante importante para a empresa entender o seu desempenho é o indicador de produtividade.

Ele pode ser desenvolvido para cada departamento isolado, para medir a eficiência da equipe na execução dos processos assim como na utilização adequada dos recursos.

O indicador pode ser coletado de várias maneiras. Seja por meio do tempo despendido em uma atividade, ou pela quantidade de produtos produzidos.

Enfim, esse é um dos indicadores mais complexos de ser feito, e por isso, é preciso ter um bom software para conseguir criá-lo de maneira eficiente.

Mas, ele é de suma importância para a empresa conseguir identificar problemas tal como o gargalo de produção.

Só para ilustrar, imagine que uma determinada empresa consiga produzir 2 mil unidades de um determinado produto por mês.

Ao criar um indicador de produção, ela observou que esse valor poderia subir para 2.500 unidades aumentando o número de 2 funcionários em uma máquina ou substituindo essa máquina.

Isto é, o restante da empresa tinha a capacidade de produzir 2.500 unidades, porém isso não era atingido, porque um único setor tinha a capacidade para produzir somente 2 mil.

Dessa maneira, por meio do indicador foi possível identificar o gargalo e então corrigi-lo, gerando assim muito mais eficiência para o negócio.

5 – Taxa de conversão

Outro indicador que é fundamental para uma empresa, atualmente, é a taxa de conversão. Mas, o que esse indicador mostra?

Em linhas gerais, o indicador de taxa de conversão consegue mostrar para a organização o percentual de visitantes ou potenciais compradores que realmente tornaram-se clientes.

Exemplificando, em um mês o negócio pode receber o contato de 5 mil clientes perguntando sobre produtos, ou para tirar alguma dúvida.

No entanto, dentro do mesmo mês, desses 5 mil clientes, apenas 1.500 realmente fizeram uma compra efetiva de algum produto ou mais.

Contudo, para encontrar a taxa de conversão basta usar a seguinte fórmula:

  • Taxa de conversão = (Vendas realizadas / Visitas feitas) x 100

Nesse exemplo, a taxa de conversão seria a seguinte:

  • Taxa de conversão = (1.500 / 5.000) x 100 = 30%

Ou seja, nesse caso a taxa de conversão foi de 30%. Ao medir isso todos os meses, a empresa conseguirá saber se essa taxa está melhorando ou piorando.

Logo, será possível criar medidas efetivas para melhorar essa taxa, seja direcionando melhor a propaganda, ou então, mudando a forma de abordar o cliente.

Mas, se a organização não possuir um indicador, ela não irá conseguir criar medidas para melhorar esse desempenho.

6 – Indicador de qualidade

Mais um indicador que também é bastante importante para uma empresa é o indicador de qualidade.

Ele representa a quantidade de artigos que foram produzidos em perfeito estado, em relação a quantidade de artigos que foram produzidos.

Por exemplo, em um dia um empreendimento pode produzir 100 unidades de um produto. Dessas 100 unidades, 95 estavam em perfeito estado para serem entregues.

Portanto, para encontrar o indicador de qualidade pode ser estabelecido a seguinte fórmula:

  • Indicador de qualidade = (Produtos em perfeito estado / Produtos totais) x 100

Nesse exemplo, o indicador de qualidade será o seguinte:

  • Indicador de qualidade = (95 / 100) x 100 = 95%

Isto significa que nesse caso o indicador de qualidade mostrou que a empresa está perdendo cerca de 5% do que foi produzido por não estar em conformidade.

Para melhorar isso, é necessário, por consequência, pensar em melhorias internas, seja através da mudança de maquinário, matéria prima ou até mesmo de pessoas na linha de produção.

Repare que se o empreendimento não tem esse indicador, ele não saberá como agir e, possivelmente, irá acabar perdendo seus clientes.

Além disso, também não há como acompanhar se esse indicador está melhorando ou piorando no decorrer do tempo.

Por essa motivo é tão importante criar um indicador de qualidade e procurar agir para que ele seja melhor a cada mês.

7 – Indicador de capacidade de produção

O indicador de capacidade de produção é mais um que agrega e traz importância para uma empresa.

Ele irá mostrar quantos produtos podem ser produzidos em um determinado período pela empresa. Esse tempo pode ser em dias, semanas, meses ou até mesmo horas.

Tendo como exemplo uma empresa que fabrica dois produtos. Um tem um lucro bruto de R$ 10 e outro um lucro bruto de R$ 5.

Superficialmente, você vai concluir que é muito mais vantajoso produzir o produto que dá um lucro bruto de R$ 10, não é mesmo?

Mas, ao criar o indicador de capacidade, a organização pode descobrir que em uma hora consegue produzir 100 unidades do produto que dá um lucro de R$ 5 e apenas 40 unidades do produto que dá um lucro de R$ 10.

Por isso, na hora a empresa ganha R$ 500 produzindo o produto com lucro bruto de R$ 5 e R$ 400 produzindo o produto que dá um lucro bruto de R$ 10.

É por isso que esse indicador de capacidade é tão importante, pois ele irá refletir o lucro real que um determinado produto pode proporcionar para o negócio.

Por mais que pareça simples, há muitas empresas que pecam nessa questão e que acabam substituindo produtos, simplesmente, com base apenas no lucro bruto. Para entender um pouco mais sobre a gestão financeira dentro de um negócio clique aqui.

8 – Indicador de turnover

O indicador de turnover tem bastante relação com a satisfação dos colaboradores de uma organização e indica o tempo médio de permanência nas vagas oferecidas.

Para encontrar esse indicador é bastante simples, é só pegar a data de demissão e subtrair pela data de admissão e encontrar o tempo de permanência.

Isso pode ser feito sobre todas as vagas existentes em uma determinada organização. Com esses dados a empresa pode tomar algumas decisões.

Uma delas é procurar melhorar o processo de contratação. Afinal de contas, a rotatividade pode indicar que o processo seletivo não está sendo eficiente.

Uma outra decisão é simplesmente procurar oferecer mais cursos, treinamentos ou recompensas para os próprios colaboradores.

Também é possível pensar em ampliação de benefícios para procurar aumentar a retenção de talentos dentro do próprio estabelecimento.

No fim das contas, de certa forma, se está havendo muita rotatividade, isso mostra que os colaboradores não estão satisfeitos com a empresa.

Uma outra forma de calcular o turnover é usando a seguinte fórmula:

  • Turnover = (Número de admissões / Número de desligamentos) / 2 / número de funcionários.

Vamos usar um exemplo para ilustrar. Considere uma empresa que tenha tido 10 admissões no mês e 5 desligamentos.

Agora vamos imaginar que essa empresa tenha um total de 30 funcionários. O turnover seria o seguinte:

  • Turnover = (10 / 5) / 2 / 30 = 0,033

Portanto, quanto maior for esse número, menos rotatividade o seu negócio está tendo, e quanto menor, mais rotatividade ele está tendo.

9 – Índice de lucratividade

O penúltimo indicador que será apresentado e que é de grande importância para a empresa é o indicador de lucratividade. Afinal de contas, ele mostrará qual é o percentual de lucro que ela está tendo.

Por meio desse indicador é possível determinar estratégias para melhorar o lucro líquido do negócio, seja reduzindo custos, ou trocando o mix do produto.

O cálculo para encontrar esse indicador é bastante simples, basta utilizar a seguinte fórmula:

  • Indicador de lucratividade = (Lucro Líquido / Faturamento) x 100

Só para exemplificar, imagine uma empresa que tenha um lucro líquido de R$ 5 mil e um faturamento bruto de R$ 100 mil. A lucratividade dela seria a seguinte:

  • Lucratividade = (R$ 5 mil / R$ 100 mil) x 100 = 5%

Consequentemente, com o exemplo mostrado, a lucratividade é de 5%. Se essa mesma empresa deseja aumentar o índice de lucratividade para 10% ela vai precisar adotar medidas e acompanhar esse indicador.

Conforme foi apresentado, a organização poderá trocar o mix dos produtos, investir em máquinas mais modernas ou reduzir o custo fixo ou variável.

O importante é que após implementar a estratégia, seja realizado o acompanhamento do indicador para identificar os seus reais resultados.

10 – Giro de estoque

Por fim, um outro indicador bastante importante para avaliar o desempenho de um negócio é o giro de estoque.

Esse indicador mostrará quanto tempo está demorando para vender todos os produtos que estão estocados em um determinado empreendimento.

Ao encontrar o giro de estoque, a organização poderá adotar estratégias para melhorar a eficiência do estoque, procurando assim aumentar o seu giro.

O cálculo para encontrar o giro do estoque é feito da seguinte maneira:

  • Estoque = (Quantidade estocada / Quantidade vendida mês) x 30 dias

Para facilitar o entendimento vamos considerar um exemplo, onde uma determinada empresa possui 200 unidades de um produto em estoque.

Considere também que as vendas mensais desse produto foram de 50 unidades. Portanto, o giro de estoques nesse exemplo será o seguinte.

  • Estoque = (200 / 50) x 30 = 120 dias

Posto isso, no exemplo, o estoque está demorando 120 dias para girar. Para melhorar essa rotatividade é preciso aumentar as vendas ou diminuir o estoque.

Isso irá melhorar a eficiência do negócio, ou seja, quanto mais rápido for o giro de estoque, melhor será para o empreendimento. Conheça mais sobre gestão financeira e de estoque clicando aqui.

Por que aplicar esses indicadores na empresa?

Conforme foi visto, cada um desses indicadores tem a sua importância para a empresa. Afinal de contas, eles servirão de base para a tomada de uma decisão estratégica.

Sem conhecer esses indicadores, uma organização terá muito mais dificuldades de criar estratégias que realmente sejam benéficas para o negócio.

Além desses indicadores, existem inúmeros outros que também colaboram para o bom desempenho de um empreendimento.

O importante é procurar aplicar o máximo de indicadores possíveis, acompanhá-los mensalmente e então, pensar em um plano de melhoria.

Com esse embasamento, certamente a empresa conseguirá desenvolver as suas estratégicas de forma muito mais acertada, melhorando assim a sua própria atuação no mercado.

Em resumo, os indicadores de desempenho servem para que uma determinada organização encontre os seus pontos fracos e os seus pontos fortes e, baseado neles, procure estabelecer um plano estratégico para melhorar cada vez mais a sua competitividade em um mercado cada vez mais exigente.

Se você quer conhecer um pouco mais sobre Gestão de Pessoas, acesse outro artigo nosso sobre o assunto, clicando aqui.

Gostou deste artigo? Então deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe com seus amigos e colegas nas redes sociais.

Redes Sociais Master Experiens:

Youtube: https://bit.ly/ConviteVIPInscreverMaster

Instagram: https://www.instagram.com/masterexperiens

Facebook: https://www.facebook.com/masterexperiens

Twitter: https://twitter.com/MasterExper

Linkedin: http://bit.ly/LinkedInMasterExperiens

Sistema ADG | A Arte da Gestão 2020: https://www.aartedagestao.com.br